Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

O Dom de ser Esposa



A palavra ‘esposa’ em inglês (Wife) significa tecelã (Weaver). O lar é seu domínio. Ela guia, influencia, dirige, ensina, conforta, anima, reforça e tece as regras escritas na Palavra de Deus.
Deus criou a mulher com a "vocação de esposa", veja o que diz o texto: E disse o Senhor Deus: Não é bom que o homem esteja só; far-lhe-ei uma ajudadora (companheira-esposa) idônea para ele (Gn 2:18) Disse Salomão: Aquele que encontra uma esposa, acha o bem, e alcança a benevolência do Senhor (Pv 18:22).
À luz da Bíblia, ser esposa é ser:
1) Presente de Deus para o homem (Pv 18:22,19:14). A casa e os bens são herança dos pais; porém, do Senhor vem a esposa prudente.
2) Sócia da vida em todos os sentidos, (Gn 2:23).
3) Fonte de alegria, (Sl 128:3). A tua mulher será como a videira frutífera aos lados da tua casa; os teus filhos como plantas de oliveira à roda da tua mesa.
4) Aquela que auxilia visando o bem estar do marido (Pv 31:11-12). O coração do seu marido está nela confiado; assim ele não necessitará de despojo. Ela só lhe faz bem, e não mal, todos os dias da sua vida.
Se você encontrar uma esposa fiel e dedicada, achará um tesouro mais valioso que ouro e pedras preciosas. (Pv 31:10 - BLH). Ao criar a mulher, Deus estava manifestando seu carinho e amor para com o homem. O homem sozinho seria incompleto e incapaz de dar continuidade à espécie, e de ter suas necessidades, mais básicas, satisfeitas. O homem que encontra uma esposa, encontrou algo de muito valor; recebeu uma prova viva do interesse de Deus por ele. (Pv 18:22 - BLH). Sem dúvida, uma das razões porque muitas mulheres que têm tudo para serem felizes, mas não são, é porque ainda não descobriram seu valor aos olhos daquele que as criou.
Aqui estão algumas exigências, que devem ser consideradas, ao vermos o projeto de Deus para a esposa num casamento cristão.
1. Parceria
Em Provérbios 31:11, encontramos, o versículo que diz assim: O coração de seu marido deposita toda sua confiança nela. Ele sabe que ela é a sua parceira maravilhosa e amiga, e ela é única. Ele sabe que ela é sincera em todos os seus interesses e intenções; ela está preocupada com seu futuro e com as necessidades dele. Ela pode ficar a seu lado e ampliar seus sonhos. Ninguém atenderá suas necessidades, expandirá sua visão, seus alvos, seu futuro e seus compromissos tão bem quanto sua bela esposa com quem ele se casou.
2. Na Manutenção da Casa
Qual a verdadeira motivação para se ter um emprego? Pode ser o poder, o ego pessoal, a aceitação, o reconhecimento, os direitos, o materialismo ou, ainda, muitas outras coisas, nem todas corretas ou nem todas erradas. Muitas esposas se convenceram que se saírem para trabalhar, o aumento da renda propiciará uma vida mais tranqüila, na compra de um carro melhor, na educação dos filhos em escola particular, e uma lista sem fim. No entanto, as pesquisas mostram que quando isto ocorre, o casal raramente consegue alcançar o padrão de vida sonhado, pois o mesmo sempre sobe, à medida que a renda cresce.
Do ponto de vista bíblico, seria este o propósito de Deus para a mulher, especialmente para aquelas com filhos em casa? A Bíblia diz para as mulheres mais experientes: ensinem as mulheres novas a amarem aos seus maridos e filhos, a serem moderadas, castas, operosas donas de casa, bondosas, submissas a seus maridos, para que a palavra de Deus não seja blasfemada (Tito 2:5). A palavra de Deus está ensinando que o lar deve ser a prioridade na vida da mulher. Deus quer que a mulher se realize na manutenção do lar e dos filhos, amando-os, e transformando o lar em um paraíso para sua família.
Isto pode soar pouco romântico para os casais mais jovens, o que não torna menos verdadeiro. Muitos casamentos felizes têm sido destruídos pelos estritos horários de ambos. Se, como esposa, você quiser manter a relação vibrante, faça de seu lar um paraíso de descanso para que ele escape das pressões do mercado de trabalho. Amor e respeito devem ser laços que amarram juntos um relacionamento.
Nem sempre é possível conciliar o trabalho externo com a grande responsabilidade de educar os filhos, pois isto exige muita dedicação aliada a treinamento e acompanhamento sucessivo. Da mesma forma, na vida conjugal, problemas podem ocorrer quando a mulher se dedica demasiadamente à sua vida profissional, negligenciando o seu papel de esposa e companheira. Daí levanta-se a questão: Vale a pena conquistar tanto na profissão e perder o marido e os filhos? Afinal, qual dentre estas traz maior realização para a mulher?
Deus a fez para estar ao lado, ser companheira. Uma esposa pode ser a maior incentivadora de seu marido, e, levá-lo a grandes conquistas; ela pode apoiá-lo e encorajá-lo com suas sábias palavras, em momentos de crise; a sua sensibilidade e a sua percepção são essenciais no momento em que o casal precisa tomar decisões. Não foi por acaso que o Senhor declarou que uma mulher precisa ter sabedoria (Pv 14.1). Ela representa, dentro de um casamento, o equilíbrio e a direção. Um casamento e uma família sofrem grandes perturbações quando a mulher não tem discernimento para conduzir o seu lar e os seus filhos. Em contrapartida, quando ela busca em Deus esta capacidade, o seu lar pode ser abençoado de tal forma, que nada lhe falte. Nem a paz, nem a alegria, e, muito menos, o suprimento diário das necessidades da família. No Salmo 127 o Senhor declara que é Ele quem edifica a casa! Então, sem ele, e sem a sabedoria dele, esta mulher nada pode fazer! No versículo 2 está escrito: Inútil vos será levantar de madrugada, repousar tarde, comer o pão de dores, ou seja, de que adianta tanto sacrifício, sem a bênção de Deus? Você trabalha, trabalha, para que nada falte a sua casa e a seus filhos, e, talvez, não faltará realmente, nem a comida, nem a roupa, nem o material escolar, e, quem sabe até o lazer, o brinquedo, a viagem... Bom! onde estão os valores que eles precisam para serem futuros homens e mulheres de bem?
3. Comunicação Mútua
Você deve ser muito cautelosa ao falar de seu lar para os de fora. Os homens sempre estão testando os limites da esposa. Ele, com certeza, terá faltas que a aborrecerão e causarão muita dor. Você deve falar somente com o marido e com Jesus sobre elas. Ele poderá falhar em suas obrigações, ou algo assim. Uma esposa sábia nunca falará destas coisas fora de casa, e, nem em casa, na frente dos filhos. Ela pode lutar constantemente para corrigir estas faltas no marido, mas deve ser paciente, com amor, mantendo seu problema em oração, diante de Deus.
Provérbios 31 é um capítulo especial na Bíblia para a mulher piedosa. Aqui está um versículo para se guardar no coração: Abre a sua boca com sabedoria, e o ensino da benevolência está na sua língua (v.26), porque, às vezes, um erro fatal é cometido, e, tal fato, não precisa ser propagado. As esposas, muitas vezes, de forma errada e irresponsável, conversam sobre os defeitos de seus respectivos maridos. Guarde seu coração e suas palavras ao falar para os outros sobre sua família e lar.

4. Apresentação Pessoal e Espiritual
Hoje, no nosso mundo dos anúncios, há beleza e apelo sexual. Muitas mulheres assimilaram do mundo, que a beleza trará ao casamento felicidade e sucesso, e, de repente, descobrem que isto não é verdade. Depois de feitos os votos conjugais e iniciada a vida em comum, é que os cônjuges se revelam como são na realidade. Novamente, Deus coloca na seguinte perspectiva: Enganosa é a graça, e vã é a formosura; mas a mulher que teme ao Senhor, essa será louvada (Pv 31:30).
A beleza verdadeira e duradoura não é externa, mas interna. Tristezas e desapontamentos, lutas e desentendimentos, angústias e necessidades do dia a dia surgem, e a não ser que Cristo esteja no coração, tudo isto é difícil demais para ser suportado.
A esposa é um presente divino, uma preciosa e rara dádiva para o marido. Ela transmite o amor e o carinho do Senhor para seu esposo. Nos dias atuais, de pressões, de demandas e de expectativas, temos que reconhecer que o casamento é muito mais do que um homem vivendo com uma mulher. É um elo sagrado, através do qual a esposa, com sua sensibilidade, revela um pouquinho do caráter de Deus ao seu marido. Um dos privilégios dados por Deus para a mulher é ela procurar evitar que o marido sinta-se só. A esposa é uma proteção contra a alienação. Ela é um santuário onde ele pode se refugiar de suas batalhas contra a dor das críticas, das decepções, do cinismo e das competições.
O apóstolo Paulo, ao escrever sobre vida conjugal, procurou deixar claro quais eram os deveres domésticos dos maridos e esposas, a fim de que houvesse harmonia na convivência dos casais. É impossível haver equilíbrio em um relacionamento, quando os envolvidos não atentam para os princípios estabelecidos por Deus na sua Palavra. É muito importante que cada mulher entenda o seu valor para seu marido. Provérbio 31:10 menciona que seu valor para seu marido excede ao preço de rubis.
Observemos algumas diretrizes oferecidas pelo apóstolo Paulo em I Coríntios 7:
1. Seja Fiel (v.2) – Quando alguém se casa, entra em um contrato legal, e numa aliança divina com seu cônjuge. Isso significa que ambas as partes têm direitos e responsabilidades no matrimônio. Um pertence ao outro. Isto não significa propriedade, porém implica em submissão mútua. O que significa essa relação de submissão mútua? Significa que ela será uma relação construtiva e não destrutiva. Significa que deve haver apenas honra, respeito e valor demonstrados um ao outro. Nunca haverá abandono, negligência ou abuso. E sobre o sexo, Paulo nos ensina que a submissão mútua da relação matrimonial abrange também o campo sexual. Deveria ser sempre prazeroso nos entregarmos ao nosso cônjuge. O sexo nunca deve ser usado como uma arma; deve ser sempre uma expressão saudável de amor entre o marido e a esposa. O fato do sexo ser legítimo no casamento, e só no casamento, não quer dizer que nele "vale tudo" como se diz. Não somos animais irracionais; aliás, nem os animais irracionais fazem estripulias em termos de sexo. Ao contrário, são extremamente naturais. A moral tem uma "lei natural", que Deus colocou no mundo e no coração do homem. Aquilo que não está de acordo com a natureza, não está de acordo com a moral. Será que, por exemplo, o sexo oral ou anal está de acordo com a natureza? Certamente que não. Quando alguém se casa, está obrigada a demonstrar afeto ao seu cônjuge. E isto é muito mais do que apenas dizer "Eu te amo". Manifestar afeto é demonstrar seu amor para seu cônjuge. O amor no relacionamento conjugal não cresce por si só. É necessário cultivar este amor, dia após dia, e trabalhar em prol do crescimento deste sentimento.Quando uma pessoa se casa, há apenas um companheiro para ela. Outros não deveriam ser "convidados" para o relacionamento conjugal. Esta fidelidade não só abrange o campo físico, mas o campo emocional, também. A infidelidade emocional é freqüentemente mais destrutiva que a infidelidade sexual. Na Lição Bíblica, A Pureza do Cristão, escrita pelo Pr. José Lima, no 3º Trimestre de 2007, encontramos: "Para Jesus Cristo, o cristão casado que deseja outra pessoa, casada ou solteira, pratica adultério mental. O Senhor ensina que as pessoas podem ser puras ou impuras, dependendo de como alimentam suas mentes. De seus seguidores, Cristo requer a negação do "eu", dos desejos pecaminosos que habitam a alma (Mc 8:34); isso porque a mente humana deformada pelo pecado, é terreno adequado para as fantasias, para os devaneios, para as viagens sexuais pecaminosas, para os adultérios. A mente impura é capaz de invadir e roubar a dignidade das pessoas desejadas sem que elas saibam que estão sendo usadas de forma pecaminosa". Como fica diante desta afirmação, a mulher que faz uso de filmes pornográficos para estimular a vida sexual? Isso é adultério mental.
2. Deixe o amor crescer (v.3) – Quando alguém se casa, está obrigada a demonstrar afeto ao seu cônjuge. E isto é muito mais do que apenas dizer “Eu te amo”. Manifestar afeto é demonstrar seu amor para seu cônjuge. O amor no relacionamento conjugal não cresce por si só. É necessário cultivar este amor, dia após dia, e trabalhar em prol do crescimento deste sentimento.
3. Saiba que você pertence ao seu cônjuge (vv. 4-5) – Quando alguém se casa, entra em um contrato legal, e numa aliança divina com seu cônjuge. Isso significa que ambas as partes têm direitos e responsabilidades no matrimônio. Um pertence ao outro. Isto não significa propriedade, porém implica em submissão mútua. O que significa essa relação de submissão mútua? Significa que ela será uma relação construtiva e não destrutiva. Significa que deve haver apenas honra, respeito e valor demonstrados um ao outro. Nunca haverá abandono, negligência ou abuso. E sobre o sexo, Paulo nos ensina que a submissão mútua da relação matrimonial abrange também o campo sexual. Deveria ser sempre prazeroso nos entregarmos ao nosso cônjuge. O sexo nunca deve ser usado como uma arma; deve ser sempre uma expressão saudável de amor entre o marido e a esposa. O fato do sexo ser legítimo no casamento, e só no casamento, não quer dizer que nele “vale tudo” como se diz. Não somos animais irracionais; aliás, nem os animais irracionais fazem estripulias em termos de sexo. Ao contrário, são extremamente naturais. A moral tem uma “lei natural”, que Deus colocou no mundo e no coração do homem. Aquilo que não está de acordo com a natureza, não está de acordo com a moral. Será que, por exemplo, o sexo oral ou anal está de acordo com a natureza? Certamente que não. 4. Deveres mútuos (v.3) – O marido conceda à esposa o que lhe é devido, e também, semelhantemente, a esposa ao seu marido. O homem deve cumprir o seu dever como marido, e a mulher também deve cumprir o seu dever como esposa. (BLH). Este texto diz, claramente, que o marido e a esposa são responsáveis pela satisfação das necessidades sexuais um do outro. Porém isto deve ser muito mais que uma obrigação ou um fardo. Quando os cônjuges se amam sinceramente, e profundamente, cumprir este "dever" é um privilégio, um prazer e uma alegria. Ambos têm privilégios e responsabilidades iguais. Não está errado, nem é pecado o marido desejar o corpo de sua esposa, ou a esposa desejar o corpo do seu marido. Algumas mulheres têm a estranha noção de que é altamente espiritual abster-se das relações sexuais; pensam que cristãos cheios do Espírito e dedicados ao ministério da Palavra, não devem se interessar por esse tipo de coisa. Tais pensamentos e conceitos são contrários ao ensino da Palavra de Deus! O apóstolo continua na usa recomendação: Não vos priveis um ao outro. Isto significa: "não tire, não roube do seu cônjuge este direito e este prazer... Se o fizer, você o exporá a severas tentações de Satanás e ao pecado!".
Evidentemente, o sexo é uma das maravilhosas criações de Deus. Deus planejou também que a união sexual de um homem com uma mulher, e vice-versa, fosse, ao mesmo tempo, uma experiência pura e prazerosa. Vejamos alguns textos bíblicos sobre o assunto:
Hebreus 13:4 (Revista e Atualizada) - refere-se à santidade do relacionamento sexual dos casados: Digno de honra entre todos seja o leito sem mácula; porque Deus julgará os impuros e adúlteros. Na tradução Linguagem de Hoje, está assim: Que o casamento seja respeitado por todos, e que os maridos e as esposas sejam fiéis um ao outro.
Provérbios 5:18-19 (Revista e Atualizada) – fala do prazer e alegria da relação conjugal: Seja bendito o teu manancial, e alegra-te com a mulher da tua mocidade, corça de amores e gazela graciosa. Saciem-te os seus seios em todo o tempo; e embriaga-te sempre com as suas carícias. Na Linguagem de Hoje: Alegre-se com a sua mulher, seja feliz com a moça com quem você casou, amorosa como uma corça, graciosa como uma cabra selvagem. Que ela cerque você com o seu amor, e que os seus encantos sempre o façam feliz. Como são deliciosas as suas carícias, minha namorada, minha noiva! O seu amor é melhor do que o vinho; o seu perfume é o mais agradável que existe.
Infelizmente, a vida sexual de muitos casais não é assim tão pura, alegre e prazerosa. Ao contrário, é fonte de profunda insatisfação e constantes ressentimentos. Tantos são os problemas relacionados com o ajustamento sexual no casamento, que os conselheiros matrimoniais geralmente os classificam como causa principal das discórdias entre os casais. Se o sexo é criação de Deus e é muito bom, por que até os casais cristãos têm problemas sérios nesta área?
Coisas boas podem ser mal usadas! O alimento é bom, mas sem um preparo cuidadoso ou ingerido em excesso, torna-se prejudicial à saúde. Deus diz que a prática do sexo no casamento é uma experiência maravilhosa, que tem a sua bênção; todavia, fora do casamento pode causar problemas físicos, emocionais e espirituais. As experiências sexuais extraconjugais dificultam ou impedem a vida sexual satisfatória no casamento.
Vivemos dias de grande e crescente permissividade. A promiscuidade sexual está sendo tolerada até por alguns que se dizem cristãos. Muitos defendem a idéia de que, entre duas pessoas que se amam, não há porque não experimentar tudo o que quiserem, inclusive o absurdo da troca de casais com o consentimento de ambos, para troca de experiências. Se eles levam o Senhor a sério, certamente desejarão ouvir e praticar o que o Senhor diz sobre o assunto. E ele diz muitas coisas, tanto no Antigo, como no Novo Testamento.
Uma das passagens mais completas é I Ts 4:3-8. Destacamos o seguinte: Esta é a vontade de Deus: a vossa santificação; que vos abstenhais da prostituição (v.3). Outras versões usam os termos “fornicação” ou “imoralidade” em lugar de “prostituição”. De qualquer modo, a referência é a todo ato sexual fora dos limites do casamento, é a relação extraconjugal. Não importa quão profundos sejam os sentimentos mútuos entre um homem e uma mulher, esta e outras passagens, dizem que a vontade de Deus é a de que seus filhos sejam santos (separados, eticamente diferentes das pessoas que não amam o Senhor), e se abstenham, deliberadamente, dessas experiências. Se Deus exige isto, certamente é para o nosso bem. E ele sempre nos ajuda a fazer a sua vontade porque é Deus quem efetua em vós tanto o querer como o realizar, segundo a sua boa vontade (Fp 2.13). Que cada um de vós saiba possuir o próprio corpo em santificação e honra, não com o desejo de lascívia, como os que não conhecem a Deus (vv 4-5).
O corpo que Deus nos deu tem músculos, formas, beleza, sensualidade e órgãos sexuais. Atrai o sexo oposto! Seus dons e potencialidades podem ser usados para o bem ou para o mal. É preciso saber possuir e usar de maneira santa, ética, comprometida e respeitosa, e não com o desejo de lascívia, isto é, como arma de sedução, visando unicamente à satisfação libidinosa e egoísta. E que, nesta matéria, ninguém ofenda nem defraude a seu irmão(v.6a). Essa passagem indica, que é absolutamente normal que a mulher tenha desejos sexuais.
Ao invés de impedir ou restringir a vida sexual regular e satisfatória, o Espírito Santo a encoraja. Vida cheia do Espírito é vida entregue a Cristo, e controlada por ele. Quando Jesus está no controle da nossa vida, tornamo-nos amorosas, altruístas e dadivosas. Obviamente, este texto não teve intenção de prover técnicas sexuais. Seu propósito foi estabelecer e recomendar atitudes próprias para com o sexo, de acordo com o claro ensino da Palavra de Deus.
Pense nisso mulher casada! Em Deus está a tua força para vencer!

Dsa. Maria Aparecida Cordeiro da Silva

Nenhum comentário