Republicando


Eliminando a Goteira do Casamento


Há alguns versículos em provérbios que comparam a mulher que fala demaisao infortúnio de viver com os pingos de uma goteira caindo na testa dia apósdia, mês após mês, ano após ano... (ver 19:13).É um exemplo interessante. Não se aplica só à mulher, mas a qualquerpessoa no relacionamento familiar. A goteira irrita justamente pelarepetição que cansa os ouvidos e altera o humor. Basta lembrar de umatorneira pingando no silêncio da noite tirando o sono e a paciência de quemestiver por perto.É bom que todos estejamos atentos! Podemos nos tornar "goteiras"insuportáveis. Podemos reclamar com o cônjuge, com os filhos, com os amigos.Observe que a atitude de "goteira" não é saudável por não conduzir asoluções, antes, é uma forma de liberarmos nossas ansiedades sobre osoutros. A vida vai passando e nada muda - as relações continuam do mesmojeito.Às vezes, com os filhos, podemos perceber melhor o que acontece. Porexemplo, o filho deixa a roupa jogada no quarto. A mãe (para seguir o textode provérbios) reclama que trabalha demais, que ninguém lhe ajuda, que faztudo sozinho, que o filho é insensível, etc. etc. etc. etc, mas vai e colocaa roupa do filho pra lavar! A cena vai se repetir infinitas vezes, ficandoos dois acomodados na situação chata - a mãe se contenta em reclamar; ofilho se faz de surdo e segue com o mesmo hábito.Ora, em vez de reclamar seria melhor chamar o filho, mostrar a roupa e dizerclaramente que é dever dele colocar a roupa no cesto de roupa suja! Se elenão obedecer, segue a necessária fase da disciplina.Veja que a solução proposta exige mudança de postura da mãe e do filho!O grande problema é que todos queremos que somente os outros mudem!Desejamos continuar como somos e ponto final.Mas o pior não é uma mulher que fale demais o dia todo, reclamando sempre detudo e de todos. O cúmulo da goteira é, na verdade, quando a mulher fala atédormindo!Aconteceu com um casal amigo, em recente viagem de descanso. No meio danoite, no hotel, a luz foi embora e ela começou a falar bastante nervosa como marido, segurando-o pelo braço e dando a maior bronca. Ele precisou seesforçar para se desvencilhar dela e correr para buscar uma lanterna.Coitado do marido, nem dormindo ela deixa de reclamar e controlar tudo aoseu redor!Brincadeiras à parte, é importante uma avaliação da atitude que temosnos relacionamentos. Somos irritados, costumamos reclamar de tudo, mauhumorados, tensos e estressados? A reclamação repetitiva não leva asoluções, mas demonstra que algo anda errado, que há espaço para correção derumo.Eliminando "goteiras"Lúcio César Menezes
Republicando Republicando Reviewed by Cris Duarte on domingo, abril 03, 2011 Rating: 5
Tecnologia do Blogger.