Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

O Plano de DEUS para o casamento


Sermão Pregado no Casamento de David e Tati Portela

São Paulo, Brasil: 2 de julho de 2005


Neste momento em que nos reunimos para participar, testemunhar e nos alegrar com o casamento de David e Tati, gostaria de chamar nossa atenção para dois pontos.
O primeiro tem como base a passagem bíblica que foi lida por Daniel, meu filho – Prov. 31:10-31 (NIV – Mulher virtuosa = mulher exemplar).


A primeira vista pode parecer que este trecho nada tem a ver com um casamento. Ele fala apenas sobre uma mulher, uma que já está estabelecida em seu lar, conseqüentemente, alguém que já tem até uma idade avançada. Será esta uma meditação unilateral, dirigida apenas à esposa? Até o David, quando eu lhe disse qual o texto que eu pretendia utilizar para base da nossa meditação, para ser colocada no programa, me perguntou:
Seu sermão vai ser apenas sobre a mulher exemplar e virtuosa ou você vai misturar alguma coisa sobre o marido exemplar e virtuoso no meio de tudo isso?
[1]
Bom, eu não pretendo, com a utilização desses versos, dar conselhos somente à Tati, até porque teríamos que fazê-lo em inglês, mas, especialmente, porque já acredito, firmemente, que ela é e será mais ainda – na medida em que os anos se passam – uma mulher virtuosa. Mas acredito, também, que esta passagem da Palavra de Deus mostra o fruto de um relacionamento maduro; no qual o esposo foi peça fundamental na consolidação das virtudes de sua esposa. Este caminhar e este relacionamento, sob o direcionamento divino, leva à felicidade tanto para o esposo como para a esposa, e promove a fundamentação de uma família saudável, em todos os sentidos. Meu primeiro ponto é – portanto:
1. O Casamento – É o início de um relacionamento divino a ser cultivado – Ele faz com que você seja o melhor de si.
A esposa descrita neste trecho é exemplar, de “caráter nobre” – virtuosa. Ela está plenamente envolvida com a sua família e é apresentada, na Palavra Inspirada, com grandes elogios por sua operosidade e talentos.
Não encontramos, aqui, uma mulher frustrada por causa de suas obrigações e deveres na família, mas alguém que alegremente se empenha em suas atividades diárias. Não observamos o retrato de alguém impedida no desenvolvimento de suas habilidades intelectuais, mas uma que rege muito bem cada espaço e esfera de atividade que cai em suas mãos – e alguém que também está ativamente procurando as oportunidades de desenvolvimento.
Uma cuidadosa leitura do trecho revela a descrição de uma mulher e esposa que é:
Valiosa (10)
Confiável (11)
Benevolente (12)
Operosa, nos trabalhos manuais (13)
Inteleigente na busca dos melhores recursos para o lar (14)
Madrugadora (15)
Pronta a delegar (15)
Uma mulher que é...
Conhecedora de atividades comerciais (vende, compra, investe) (16)
Forte e que prioriza o cuidado com o físico (17)
Uma trabalhadora responsável (18)
Tecnicamente habilidosa (19)
Sensível às necessidades dos demais (20)
Precavida (21)
Elegante (22)
Uma mulher que é...
Uma fonte de respeito para a sua família, da parte de outros (23)
Perspicaz, nas oportunidades de negócios (24)
Confiante e Íntegra (25)
Sábia e Educadora (26)
Diligente (27)
Reconhecida e respeitada por sua família (28)
Singular – inigualável (29)
Autêntica (30)
E, finalmente, uma mulher que é...
Reconhecida e respeitada pelos de fora (31)
Com certeza, essa descrição não parece ter sido feita, como foi, há 900 a 700 anos antes de Cristo. Uma empresa norte-americana, há algumas décadas, lançou um computador pessoal inovador e escolheu como slogan daquele produto – the power to be your best: a habilidade de você ser o melhor de si mesmo. A idéia era que aquele produto era tão avançado e fácil de operar que você podia extrair dele potência para desabrochar em toda a sua criatividade e habilidade, tornando-se – para todos, o melhor que você pode ser. A mulher, aqui descrita, certamente descobriu, como ser o melhor de si mesma – the power to be her best. Evidentemente ela desenvolveu todo o seu potencial e talentos e é reconhecida e elogiada por suas ações e por sua forma de vida.
Qual o seu segredo? Ela está no meio de um relacionamento ordenado por Deus e ela sabe disso. Ela é parte de uma instituição criada por Deus – a família. Ela vive cada momento de sua relação conjugal na plenitude de suas habilidades.
Ainda assim, não estamos limitados a achar, aqui, apenas uma relação de conselhos para Tati. Obviamente temos um mapa de percurso que serve como uma diretriz na medida em que amadurece, ano a ano, na mulher virtuosa, da qual tantas evidências já se acham presentes em sua vida, para todos que têm tido o privilégio de conhecê-la e testemunhado o seu modo de ser.
Encontramos aqui, na realidade, referências também ao esposo. Essa mulher está igualmente funcionando como o poder por trás do seu marido, possibilitando que ele seja o melhor que pode ser (23 – “Seu marido é estimado entre os juízes, quando se assenta com os anciãos da terra”).
Por outro lado, o marido é também apresentado como sendo a fonte poderosa de encorajamento, por trás desta mulher, de tal forma que ela possa dar o máximo de si. Ele confia nela (11 “O coração do seu marido confia nela...”) ele reconhece sua singularidade e a bênção que ela é para ele próprio e para a família (28b e 29). Certamente, em todas aquelas ações que descrevem essa mulher, o seu esposo tem sido cuidadoso para não restringir o seu desenvolvimento, a sua criatividade e o seu processo de aprendizado; uma atitude que foi passada aos filhos, as quais também a respeitam e a louvam (28 “Levantam-se seus filhos e a elogiam (lhe chamam ditosa) seu marido a louva...).
Nesse sentido, este trecho da Palavra de Deus é tanto uma diretriz para esposos como para esposas. Um relacionamento fundamentado em Deus, respeitoso, não restringirá indevidamente, não diminuirá, não frustrará; mas será cheio de encorajamento mútuo, respeito, incentivo, de tal forma que cada um dos lados terá a possibilidade de ser o melhor de si (the power to be their best). É este tipo de casamento que projetamos e pelo qual oramos, para que Deus, em sua misericórdia, conceda a David e Tati. Sabemos que tudo isso só será possível com o auxílio e sob o poder do Espírito Santo – trabalhando neles e através de cada um, individualmente. – Salmo 127.1: Se o Senhor não edificar a casa, em vão trabalham aqueles que a edificam.
Mas existe um segundo ponto que eu devo trazer à nossa atenção, nesta tarde:
2. A Cerimônia de Casamento – É um compromisso sério feito perante Deus e os homens – um pacto solene a ser preservado.
Seria o Casamento um tipo de Contrato de Relacionamento?
Stephen Kanitz é um famoso escritor brasileiro (apesar de seu nome estrangeiro). Ele não é um cristão evangélico. Mesmo assim, escreveu alguns pensamentos sóbrios sobre o formalismo que cerca os relacionamentos matrimoniais e sobre a cerimônia de casamento. Ele fez isso na revista Veja, há alguns meses:
Stephen Kanitz escreveu:
A essência do contrato de casamento é a promessa de amar o outro para sempre. Muitos casais, no altar, acreditam que estão prometendo amar um ao outro enquanto o casamento durar. Mas isso não é um contrato... Banalizamos a frase mais importante do casamento. "Eu amarei você para sempre" deixou de ser uma promessa social e passou a ser simplesmente uma frase dita para enganar o outro.
Contratos, inclusive os de casamento, são realizados justamente porque o futuro é incerto e imprevisível.
É verdade – Os integrantes do casal, ao longo do seu percurso após o casamento, encontrarão muitos homens e mulheres, que poderiam até ser classificados como “ideais”.
Sobre este ponto, Kanitz diz:
O contrato de casamento foi feito para resolver justamente esse problema. Nunca temos na vida todas as informações necessárias para tomar as decisões corretas.
As promessas e os contratos preenchem essa lacuna, preenchem essa incerteza...
Kanitz, continua:
Quando você promete amar alguém para sempre, está prometendo o seguinte: "Eu sei que nós dois somos jovens e que vamos viver até os 80 anos de idade. Sei que fatalmente encontrarei dezenas de mulheres mais bonitas e mais inteligentes que você ao longo de minha vida e que você encontrará dezenas de homens mais bonitos e mais inteligentes que eu. É justamente por isso que prometo amar você para sempre e abrir mão desde já dessas dezenas de oportunidades conjugais que surgirão em meu futuro. Não quero ficar morrendo de ciúme cada vez que você conversar com um homem sensual nem ficar preocupado com o futuro de nosso relacionamento. Nem você vai querer ficar preocupada cada vez que eu conversar com uma mulher provocante. Prometo amar você para sempre, para que possamos nos casar e viver em harmonia".
Kanitz encerra com essas palavras:
Casamento é o compromisso de aprender a resolver as brigas e as rusgas do dia-a-dia de forma construtiva, o que muitos casais não aprendem, e alguns nem tentam aprender.
[2]
ENTRETANTO, O Casamento Cristão é muito mais do que um mero contrato – É um pacto solene!
É interessante, e digno de nota, que algumas pessoas, no mundo, estão verificando a necessidade de dar importância ao formalismo e aos votos que são proferidos em uma cerimônia de casamento. Mas para nós, cristãos, este momento envolve mais do que um contrato horizontal fechado entre dois lados – Deus está envolvido na cerimônia e nas promessas proferidas e isso é um pacto solene feito na Sua presença.
Um pacto é uma promessa entre duas partes.
Um pacto é um acordo jurado na presença de Deus e da congregação dos fiéis.
Um pacto é uma resposta humana à percepção do chamado divino. É algo no qual se entra de livre escolha com a convicção de que Deus tem santificado e abençoado esta união.
Um pacto reconhece que Deus está bem mais comprometido, do que as partes humanas poderiam estar, para o cumprimento do acordo.
Dentro do Povo de Deus, portanto, o casamento é um pacto e o casamento é um relacionamento pactual, entre um homem e uma mulher.
Este casamento, cuja bênção é hoje invocada, é um pacto de fé, destinado a suportar todas as pressões, no qual David e Tati se comunicarão um com o outro, e confiarão, um no outro.
Este casamento, cuja bênção é hoje invocada, é um pacto de esperança, no qual David e Tati se comprometeram mutuamente na monumental tarefa de construir uma vida conjunta a dois, trabalhando por um futuro perene, no qual as esperanças de cada um se constituem nas esperanças um do outro.
Este casamento, cuja bênção é hoje invocada, é um pacto de amor, no qual David e Tati se esforçarão para tratar um ao outro com entendimento e com benevolência.
O casamento significa deixar os pais para se unirem como “uma só carne”. O casamento significa uma união que é mais do que o prazer da intimidade sexual, ou do compartilhar de um lar.
O projeto de Deus foi e ainda é bom! – um homem e uma mulher – deixam suas famílias para formar uma união singular – uma nova família independente. Esta é a regra dada pelo Criador à raça humana, para sua própria preservação! Paulo compara o relacionamento entre Jesus e a sua igreja àquele existente entre um marido e uma esposa (Ef 5.25-32). Nossos casamentos devem ilustrar esse tipo de amor, aos nossos filhos e ao mundo!
A Bíblia utiliza a palavra pacto, ou aliança, para descrever a lealdade que deve subsistir até a morte de uma das partes. Pacto é o tipo mais alto de relacionamento que encontramos na Bíblia. Descreve o relacionamento de Deus conosco, através de Jesus Cristo. A lealdade e o sacrifício de Cristo (Hb 13.5 – “De maneira alguma te deixarei, nunca jamais te abandonarei”) são apresentados como o modelo que está no centro do relacionamento matrimonial.
É Deus que é a testemunha principal ao pacto, ou aliança, do casamento. Em Malaquias 2.14 lemos que “O Senhor foi testemunha da aliança entre ti e a mulher da tua mocidade” e ele se refere à mulher desposada utilizando exatamente essas palavras: a “tua companheira e a mulher da tua aliança”.
É Deus que é o exemplo final de lealdade, dentro do pacto. A nossa cultura tem transformado casamentos em apenas festas monumentais, mas essa ocasião é, na realidade, uma ocasião de concentração na pessoa de Deus. Ele é honrado quando um homem e uma mulher assumem este compromisso, em lealdade e pureza, de constituir uma nova vida conjunta “até que a morte os separe”.
David e Tati não possuem muitas posses terrenas – na realidade, lutam e lutarão com muitas dificuldades, nessa área, mas eles têm o Senhor do Universo e o tesouro de Sua salvação. Eles possuem o alicerce em cima do qual podem construir um lar que honra a Deus e ser um raio de luz neste mundo tão necessitado de iluminação. Eles têm a possibilidade de tornar o seu lar um pedacinho do céu, no qual reinará a paz de Deus, no meio das perturbações desta era. Na medida em que adentram este relacionamento pactual, confiamos que o Senhor protegerá sustentará o seu casamento até que ele seja servido chamá-los desta peregrinação à glória eterna.
Oremos:
Senhor – Testemunhando as promessas feitas e com súplicas pelo casamento de David e Tati, ensina-nos:
Nossas responsabilidades, como casais, um para com o outro, perante a tua presença – renova os nossos compromissos, o nosso relacionamento, o nosso pacto.
Sustenta o David e a Tati pelo poder do teu Espírito Santo. Dá-lhes felicidade abundante na vida conjugal, sob teus princípios e na tua presença.
Te agradecemos por este dia, por tua bondade para conosco. Abençoa a nossa comunhão.
Oramos no nome do Nosso Senhor Jesus Cristo,
Amém

Nenhum comentário